Lançamento "Assim tocam os meus tambores"!

13:41

 


Oi gente! 

Mais uma collab de conteúdo se iniciando neste domingo. Convidei meu amigo Marcio Graffiti, artista, cineasta (e entende muito de som) para escrever sobre música, cinema e artes visuais. E neste conteúdo de estreia, Marcio falou um pouco sobre música e sua colaboração no novo álbum do Marcelo D2, que rolou o lançamento ontem no Twitch.




Há alguns meses atrás, comecei a participar das lives do Marcelo D2, observando e tentando entender o que era a Twitch TV e o que ele estava propondo para o disco. Aos poucos as coisas foram acontecendo e fui convidado para ser um dos moderadores da live, com isso cooperei dando dicas de alguns músicos para o D2 e foram surgindo algumas participações para o disco, sendo uma delas o Mamão do Azymuth. Falei para o Marcelo D2 na live, “Nessa música poderia entrar o Mamão tocando bateria”, o Marcelo curtiu e Mamão tocou no disco.

Acredito que o disco cooperou diretamente comigo. Teve um dia que fui a um terreiro de candomblé para fazer umas imagens fiz algumas fotos e enviei para o D2 e ele achou fantástico. Eu estava com o pensamento imerso no disco. Acho que isso influenciou as fotos. A arte é derivada de arte.

Minha maior inspiração foram as aulas de culturas aleatórias que tive com Marcelo Yuka. Tive muita troca de ideias e conversas com o Yuka e cada aula algo pairava no ar me dizendo que uma hora esse ensinamento seria necessário para algo. E foi! Coloquei nesse disco todo esse ensinamento que tive com o Yuka. Quis manter ele sempre presente em todas as lives que participei.

Acho que o sentido de brasilidade tem que estar presente. Precisamos nos afirmar como brasileiros, como negros e indígenas, coisas muito além do que uma camisa da CBF. Valorizar as frases e pensamentos de Darcy Ribeiro e todos aqueles que pensaram em um Brasil mais igualitário e inclusivo. A cor real do Brasil é vermelho, desde o sangue dos indígenas, negros e a cor do pau Brasil, madeira que deu origem ao nome de nosso país. O Brasil é vermelho!



Eu ouvi o álbum várias vezes nas lives! Mas preciso ouvir o disco no headphone andando por ai. Acho que para mim funciona melhor. Eu crio meu videoclipe com cenas de ruas e coisas que vejo por aí. Mas agora com essa pandemia vai ser difícil fazer isso de andar por aí ouvindo sons no headphone.

Minhas músicas preferidas são: “A Verdade Não Rima”, “Pela Sombra”, “Malungo Forte”, “Tambor”, “O Senhor da Alegria”, “Deus de Outro Lugar” e “Pelo que Eu Acredito”.

Link para ouvir: https://linklist.bio/marcelod2

Seja bem-vindo Marcio!



Marcio Graffiti é fundador do Coletivo Anti-Cinema e instrutor de audiovisual em projetos focados em produção de filmes de baixo orçamento. Além de ser graffiteiro, membro da Zulu Nation Brasil; Capítulo GBCR e pesquisador musical focado em Black Music e brasilidades.


VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM

0 comentários

Conta pra gente o que você achou!

POPULARES

FACEBOOK

INSTAGRAM